SEGUNDA-FEIRA, 23 DE NOV DE 2020
Untitled Document
NOTICIÁRIO - SAÚDE
15 DE MAIO DE 2020
Ministro da Saúde Nelson Teich pede demissão menos de um mês depois de assumir o cargo

O ministro da saúde Nelson Teich pediu exoneração do ministério nesta sexta-feira, um mês depois de assumir o cargo no governo do presidente Jair Bolsonaro.

Ele deixa a pasta após sofrer pressão do presidente para apoiar o uso da cloroquina — remédio cuja eficácia contra o coronavírus não é comprovada — para pacientes com covid-19.

Na quinta, Bolsonaro havia dito que iria "exigir" do ministério a adoção de um novo protocolo indicando o uso da cloroquina para pacientes em estágio inicial da doença. Bolsonaro vem promovendo a cloroquina como "salvação" contra o coronavírus desde o início da crise, mas diversos estudos nacionais e internacionais mostram que o uso do remédio não diminui o número de mortes ou de internações por covid-19 e pode ter efeitos colaterais muito prejudiciais.

Teich havia assumido a pasta em 17 de abril, após a demissão de Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) — que saiu após um mês de conflito com Bolsonaro.

Ao assumir, Teich disse que existia um "alinhamento completo" entre ele e Bolsonaro e que não havereria mudanças radicais na política adotada até então.

A "sintonia" entre o presidente o ministro, no entanto, não durou muito tempo. As divergências começaram a aparecer nesta semana. Na segunda, Teich descobriu pela imprensa que o presidente havia incluído salões de beleza e academias entre "serviços essenciais" autorizados a funcionar durante a epidemia — a decisão, publicada em um decreto, não passou pelo aval do ministro.

A pressão pelo mudança dos protocolos sobre a coloroquina foi o mais recente desentendimento.

Minutos depois do anúncio da demissão do ministro da Saúde, o seu antecessor no cargo, Luiz Henrique Mandetta, reagiu à notícia no Twitter: "Oremos. Força SUS. Ciência. Paciência. Fé!" Mandetta incluiu no tuíte a #ficaemcasa. Ao deixar o ministério em meados de abril, ele admitiu que a sua defesa da estratégia de isolamento social foi um dos motivos que levaram o presidente Bolsonaro a demiti-lo.

O ex-ministro Sergio Moro, que também acabou de deixar o governo, comentou no Twitter: "Cenário difícil, em plena pandemia, 13993 mortes até ontem. Números crescentes a cada dia. Cuide-se e cuide dos outros."

SAÚDE
03 DE JULHO DE 2020
Meu Herói é você
28 DE AGOSTO DE 2020
Sabará adere ao Minas Consciente
26 DE JUNHO DE 2020
Por favor, fiquem em Casa!
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados