QUINTA-FEIRA, 17 DE OUT DE 2019
Untitled Document
NOTICIÁRIO - MEIO AMBIENTE
04 DE OUTUBRO DE 2019
Setembro é marcado por grandes queimadas em todo o município

Sabará sofreu nas últimas semanas com o grande número de queimadas que atingiram a cidade. Por vários dias o município ficou coberto por uma nuvem densa de fumaça que trouxe transtornos para toda população. De acordo com o Corpo de Bombeiros, na região urbana houve uma concentração de incêndios na área da Chácara do Lessa, Morro Dois Irmãos e Fazenda do Capão. Além disso, grande parte da vegetação às margens da rodovia MGC-262, que liga Sabará a Caeté, principalmente na região onde está situada a mineradora AngloGold, foi consumida pelo fogo.

“Sobrevoamos a Chácara do Lessa e foi possível verificar que tivemos 90% da área do parque atingida, como também as outras regiões tiveram uma área bastante significativa queimada. O prejuízo ambiental é incalculável porque todo material que foi incendiado é de extrema importância para nossa sobrevivência ou para nossa qualidade de vida. A natureza tem o seu tempo e o que nós perdemos vai levar décadas para que seja recomposto”, afirma a tenente Walquíria Coelho do 5º Pelotão do Corpo de Bombeiros de Sabará. Na Chácara do Lessa foram encontrados vários animais mortos, como tatus, micos, cobras e aranhas.

O município recebeu apoio do 3º Batalhão de Bombeiros da Pampulha e durante as queimadas cerca de 60 profissionais estiveram empenhados no trabalho de combate as chamas. Além disso, os Bombeiros receberam o apoio da Defesa Civil Municipal e de brigadistas voluntários de empresas que também contribuíram com materiais, equipamentos, logística de alimentação e hidratação.

Ainda segundo a tenente Walquíria, durante três dias a qualidade do ar ficou bastante ruim em Sabará e as pessoas que são mais sensíveis, de forma especial as crianças e idosos, certamente sofreram algum tipo de reação, como irritação nos olhos ou dificuldade de respirar.

Vala ressaltar que essa época do ano é mais propícia para queimadas por conta do clima seco, mas a ação do homem é a grande responsável pela maioria das queimadas. Esse ano a temporada de chuvas foi bem menor e isso incidiu diretamente no número de incêndios porque a mata ficou mais seca. Além disso, a umidade do ar caiu bastante e dessa maneira contribuiu para ocorresse um aumento de quase 80% no número de focos de incêndio na cidade em relação ao ano passado.

“A gente pontua que 99% dos incêndios florestais são de origem humana, se criminosos ou não a gente não consegue confirmar, mas apenas 1% é de origem natural, mesmo nessa época do ano que é mais seca. Uma das principais causas são as pontas de cigarro. Fora isso, há também as queimadas em fundo de lotes para fazer a limpeza e nesse tempo muito seco com ventos fortes acaba propagando essa queimada, o que vira um grande incêndio e a gente perde o controle da situação”, diz a tenente Walquíria.

É importante lembrar que provocar incêndios é crime e o infrator pode receber uma multa e até detenção, de acordo como grau de envolvimento, a área que atingir e os danos que produzir. O cidadão que conseguir identificar o autor de um incêndio deve fazer a denúncia através do telefone 190 da Polícia Militar ou reportar a algum órgão como o próprio Corpo de Bombeiros.

A tenente Walquíria orienta que as pessoas que vivem nas casas muito próximas aos focos de incêndio deixem suas residências para evitar inalação porque essa fumaça normalmente é tóxica. Já as outras pessoas é importante manter uma hidratação constante, usar umidificador ou uma toalha molhada na beira da cama e aplicar soro nas narinas.

“O nosso compromisso é sempre em resguardar a nossa sociedade, preservando vidas e bens, independente das circunstâncias. Estamos sempre prontos a ajudar, socorrer e traçar estratégias para que a gente possa ao menos minimizar os danos. Nós contamos com o apoio da população no sentido de estarem conscientes de que simples atitudes podem evitar muitos danos. A gente pede para que a população tenha um pouco mais de carinho com a natureza porque isso vai ter um reflexo direto na nossa saúde, bem-estar e qualidade de vida”, finaliza tenente Walquíria Coelho.

MEIO AMBIENTE
29 DE MAIO DE 2019
Revitaliza Barão
03 DE OUTUBRO DE 2019
Projeto: Nossa água, nossa vida!
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados