QUINTA-FEIRA, 17 DE OUT DE 2019
Untitled Document
NOTICIÁRIO - SOCIAIS
28 DE DEZEMBRO DE 2018
“Liberdade, Igualdade e Fraternidade”

Marco Maçônico é inaugurado na entrada da cidade

O canteiro central da Avenida Expedicionário Romeu Jerônimo Dantas, na entrada da cidade, ganhou uma bela obra de arte e um singelo jardim, após o Marco Maçônico e o jardim terem sido reformados.

A obra foi idealizada e financiada pelo professor João Pedro Martins membro e fundador da Loja Maçônica Confidente do Rio das Velhas – Nº 244 jurisdicionada a Grande Loja Maçônica de Minas Gerais.

Para a inauguração que aconteceu no dia 8 de dezembro compareceram todos os membros da Loja Maçônica de Sabará e ainda, representando Grão Mestre da Grande Loja de Minas Gerais, Edilson de Oliveira, o Grande Primeiro Vigilante Sérgio Quirino que explicou a função de um Marco Maçônico. “O Marco é um ponto de referência para mostrar para outros irmãos que nessa cidade existe uma loja maçônica. Para haver uma congregação entre as lojas”, diz.

O Venerável Mestre da Loja Confidente Rio das Velhas, Nilton Roberto da Silva, explica que é normal as entidades que promovem obras sociais colocarem marcos na entrada das cidades para mostrar que ali existe trabalhos sociais junto à comunidade. Ele ressalta que são muitos os trabalhos sociais realizados pelos maçons em Sabará, mas uma das características primordial da Maçonaria é justamente não divulgar essas realizações.

O Marco Maçônico da Augusta e Loja Confidente do Rio das Velhas, como é chamado, além de mostrar a presença da maçonaria na cidade, traz as característica de Sabará, assim como o jardim que ganhou o nome de Jardim dos Confidentes.

Durante a cerimônia de inauguração o historiador José Bouzas explicou suas características e o significado de cada uma delas. João Pedro Martins como idealizador da obra afirmou que fez questão de colocar no marco vários detalhes que representassem Sabará. A parte artística ficou por conta dos artistas Mário Inaibes que realizou toda a parte de concreto e Wellerson dos Santo que pintou a estrutura.

O jardim foi um presente à comunidade local. Os moradores foram convidados a prezarem pelo Jardim dos Confidentes e de forma representativa a Loja Maçônica presenteou os moradores com regadores, para que eles possam preservar sempre as belas flores plantadas. Para Sandra Lúcia, moradora da rua há 10 anos, a ideia foi ótima, pois vai embelezar a avenida. Ela diz que está pronta para regar as flores e vigiar o jardim, impedindo que qualquer um chegue para estragá-lo. “É muito bom deixar a entrada da cidade mais bonita. Vou vigiar da minha varanda, se perceber alguém se aproximando para arrancar flor ou qualquer coisa parecida dou um grito”, afirma.

Descrição do

Marco e do Jardim

Após fazer um belo relato sobre a história de Sabará. Zezinho Bouzas explicou o que cada detalhe do Marco Maçônico representa.

O Marco propriamente dito tem em sua composição várias representações da arte e religiosidade sabarenses.

Sustenta o monumento uma base retangular lembrando os passeios altos e as escadarias dos casarões centenários da cidade.

O Marco do Pontal observa semelhanças com o da Igreja do Carmo, onde Aleijadinho deixou sua arte. Duas colunas pintadas em azul colonial, retas e“estriadas”, no estilo “rococó”, terminadas em “capitéis com “volutas”, em vermelho e dourado,como as colunas dos altares laterais e do altar-mor da Igreja do Carmo, obras de Francisco Vieira Servas e Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, segundo especialistas, e à maneira também do altar-mor da Capela do Pilar , sustentam uma bela “cimalha” cinza claro, no estilo “rococó”, esta semelhante às cimalhas das portadas do Carmo, São Francisco e Rosário, das salas das Capelas Interna do Solar do Padre José Correa da Silva, onde abrigava a Prefeitura até recentemente.

Lembramos que as cores, azul e vermelho, são básicas da maçonaria, associadas ao branco.

Duas outras colunas, também “estriadas”, sustentam uma mesa de altar, feito à maneira da mesa do altar da Capela de Nossa Senhora do Ó.

Abaixo desta mesa há uma representação de uma Harpa, instrumento de grande beleza, harmonia e delicadeza, homenageando a música dos compositores e mestres sabarenses, que produziam belas composições e se apresentavam nos recitais nas casas dos grandes senhores mineradores, nas missas, novenas, procissões e como ainda hoje faz, a centenária Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará.

Acima da mesa, como um altar, está o Símbolo Maçom, na cor marrom claro: o Compasso - a precisão e a exatidão, e o Esquadro - a regularidade, a boa ordem e o trabalho, ambos abraçando a letra G.

Já no Jardim dos Inconfidentes foi plantado um triangulo de flores de beijos vermelhos que representa os bravos inconfidentes. Também no jardim, mas atrás do marco temos o desenho da bandeira de Minas Gerais formado com flores brancas e vermelhas, que faz uma alusão ao lema da maçonaria: “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”, já que a bandeira de Minas traz os dizeres “Libertas Quae Sera Tamem”.

Finalmente, ao lado do Marco, nota-se que foram plantados dois pés de romãs. Acima da cimalha e de todo o conjunto, coroando as colunas e os capitéis, encontram-se duas “romãs”, pintadas e bem caracterizadas, simbolizando a paz no mundo, a unidade dos irmãos e toda energia cósmica do Universo.

“Os Maçons, conscientes da missão e das obrigações que lhes são inerentes, em lutar para o bem da Pátria e da humanidade, têm convicções de estar cumprindo o papel e o dever também de lutar por Sabará, a cada um e à todos os Maçons do Universo”.

SOCIAIS
02 DE ABRIL DE 2015
Campanha Eu amo minha mãe!
21 DE JULHO DE 2019
Rotary Club tem novo governador
04 DE DEZEMBRO DE 2018
DONA VÊNICA: uma vida exemplar
30 DE OUTUBRO DE 2018
Luta por uma vida mais digna
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados