SÁBADO, 20 DE OUT DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - POLÍCIA
05 DE MARÇO DE 2018
Polícia Civil investiga caso de jovem que foi morto após agressão policial

O rapaz de 23 anos teve traumatismo craniano após ser agredido por um golpe de cassetete

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil investiga o caso do jovem que foi morto após ser covardemente agredido por um policial militar durante a festa de pré-carnaval no domingo, 4, no bairro Nações Unidas.

O delegado responsável pela investigação do caso diz que só vai se manifestar após a conclusão do inquérito.

Em nota a Polícia Militar, através do Comando do 61º Batalhão, esclareceu que o fato ocorrido no dia 4 de Fevereiro de 2018, foi uma ação isolada, que está em desacordo com o que a instituição, Polícia Militar, tem como valores e doutrinas. Um procedimento interno já foi instaurado para apurar os fatos, em conformidade aos princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório a que todo cidadão tem direito. “Nos mantemos firmes aos nossos propósitos de servir e proteger os cidadãos mineiros”, diz a nota. A PM informou ainda que o policial envolvido no caso foi retirado das ruas.

A família apresentou denúncia ao Ministério Público que também instalou um processo investigatório criminal. O processo será paralelo ao instaurado pela Policia Civil, o MP aguarda cópia das oitivas que estão sendo feitas pela Polícia Civil, essas serão analisadas e caso necessário, testemunhas serão chamadas novamente para serem ouvidas pelo Ministério Público. Assim como os policiais militares envolvidos que já foram chamados para serem ouvidos na Polícia Civil. O Ministério Público afirma que também está avaliando o destino do policial responsável pela agressão, mesmo ele estando afastado de suas funções.

O MP afirma ainda que está trabalhando de forma alinhada com a Polícia Civil e aguarda que o inquérito seja concluído rapidamente.

Entenda o caso

A festa já havia acabado e o jovem de 23 anos, Denner de Oliveira Ramos, voltava com um amigo para casa quando uma viatura da Policia Militar parou na rua onde eles estavam, imagens mostram o policial descendo da viatura e agredindo o rapaz com um golpe de cassetete na nuca, a vítima cai no chão imediatamente e em seguida o policial ainda vira o jovem com um chute.

Na sequência do vídeo, o amigo de Denner tenta socorrê-lo e pede ajuda aos policiais, o rapaz é colocado na viatura com a ajuda de outros policiais. A Polícia Militar levou o jovem para a UPA. No mesmo dia diante da gravidade do caso, ele foi transferido para o Hospital João XXIII. Na quarta-feira, 7, o jovem teve morte cerebral, a família ainda tentou doar seus órgãos, mas não foi possível. Denner morreu no domingo,11, a causa da morte foi traumatismo craniano.

Segundo familiares, o amigo de Denner, que o acompanhava no dia, relatou que a vítima foi jogada de forma agressiva na viatura e levada para UPA na gaiola, onde se colocam presos e suspeitos. O amigo informou ainda que os policiais não queriam socorrê-lo, foi preciso insistir.

A família pede justiça, segundo ela, até o momento nenhum representante da Polícia Militar a procurou. Parentes dizem que ficaram sabendo por meio de veículos de comunicação que o cabo, responsável pela agressão, foi afastado, mas reivindicam uma ação efetiva em relação aos outros policiais que participaram da ocorrência, pois acreditam que foram coniventes com o crime, inclusive na redação do Boletim de Ocorrência. Eles dizem que os envolvidos não podem ficar impunes. “Ele foi agredido por trás, não teve nenhuma chance de defesa”, destaca um familiar.

Denner tinha uma filha de dois anos, trabalhava há cinco anos como serralheiro e não tinha passagem pela polícia.

Na última edição da Folha de Sabará publicamos o ocorrido com o jovem que, até então, estava internado em estado grave no Hospital João XXII, a base de nossas informações como está relatado na própria matéria foi o Boletim de Ocorrências. Após as imagens serem divulgadas ficou claro que os policiais mentiram no Boletim de Ocorrências, relatando uma história diferente da realidade. Pedimos desculpas à família se de alguma forma se sentiram prejudicada.

POLÍCIA
14 DE NOVEMBRO DE 2017
Segurança Pública em Sabará
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados