SÁBADO, 20 DE JAN DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - SOCIAIS
02 DE JANEIRO DE 2018
Conceição Arruda diz que para ela auxiliar as pessoas é algo natural

Fazer o bem sempre fez parte de sua vida. Conceição Arruda cresceu vendo sua mãe, Celita Duarte Arruda, ajudar o próximo, aquilo pra ela se tornou algo natural. “Minha mãe cuidava dos doentes, levava para o dispensário em Belo Horizonte, para ver se estavam com tuberculose. Eu herdei muito da minha mãe essa vontade de ajudar as pessoas. Já do meu pai herdei essa veia política, cresci vendo ele e os amigos falarem sobre o assunto, mas ele nunca entrou para política, eu também nunca achei que fosse entrar”, conta.

Conceição cresceu em uma casa com 12 irmãos, sendo um de criação, além disso, sua mãe ajudou a criar alguns primos e a porta sempre estava aberta para receber alguém. Logo, ajudar, acolher e ouvir o próximo passou a fazer parte de sua vida.

Após formar no colegial, onde tinha feito secretariado, Conceição teve muita dificuldade em arrumar emprego, mas percebeu que na área de saúde sempre havia vaga, decidiu então fazer o curso de técnica de enfermagem, mesmo tendo horror a sangue. “Tinha pavor de vômito e sangue, não comia quando via um acidente. Só que eu precisava trabalhar, então optei pela enfermagem”.

Antes mesmo de entrar para a saúde, Conceição fez tijolos para doar. “Eu ainda muito nova, antes de me casar e fazer enfermagem, fazia tijolos na olaria do bairro Adelmolândia para doar. Não tinha coisa melhor do que fazer aqueles tijolos e saber que eu ia doá-los”, lembra.

Foi com muita luta que Conceição fez um curso de técnica de enfermagem, primeiro arrumou um emprego pela Prefeitura, depois fez um concurso no Estado e passou em primeiro lugar, então pediu para trabalhar em Sabará. “Nunca quis trabalhar fora, sempre aqui, então trabalhei toda a minha vida na saúde da cidade”, conta.

Dessa forma as portas se abriram e exercer a bondade ficou um pouco mais fácil para essa mulher que sempre trouxe isso como um lema na vida. “Sempre gostei de ajudar as pessoas, na medida em que eu podia, com o pouco que eu tinha, eu ajudava. Mas sempre agradeço ao povo de Sabará que me ajudou a ajudar”.

Já como técnica de enfermagem, Conceição trabalhou no Centro da Criança, Capsi, e Posto de Saúde Roça Grande, sempre muito ativa, ela chegou a ser gerente na Policlínica, Posto de saúde Morada da Serra e Centro da Criança e ainda a organizar três unidades de Saúde, no KM 14, Alvorada e Novo Alvorada. Além disso, trabalhou por muitos aos na Santa Casa de Sabará.

Durante todo esse tempo, Conceição sempre esteve disposta a ajudar, o horror a sangue passou rápido, além de atender como técnica, ela procurou facilitar a vida dos pacientes correndo atrás de exames, internações e atendimento, oferecendo uma verdadeira assistência à saúde, como a população merece. “O povo me agradece, mas eu falo não fui eu, foi Deus”.

Muitos pacientes viraram amigos e o atendimento nunca terminava no posto de saúde, Conceição se preocupa com todos e acompanha suas histórias. “Deus age na minha vida para ajudar as pessoas. Sempre tive isso comigo, indiferente do meu trabalho como técnica de enfermagem. Sempre gostei de fazer visitas para saber como as pessoas estão”.

Política

A política entrou em sua vida atendendo a um pedido de amigos, pacientes e diversas pessoas que a conhecem. “As pessoas falavam para eu me candidatar, mas eu ficava meio receosa”.

Na primeira vez que se candidatou não foi eleita, faltou cerca de 150 votos. Em 2012, na segunda tentativa, a candidata venceu como a mais votada da cidade. “ Quando eu ganhei eu comecei a chorar, porque eu não sabia o que ia fazer. Mas durante os quatro anos de mandato Deus me deu uma luz e trabalhei muito bem”.

Conceição teve uma atuação marcante na saúde e no social. Reivindicou muitas coisas, algumas conseguiu, outras não. Levou posto de saúde para os bairros Adelmolândia e Campo Santo Antônio e creches para os bairros Cabral, Córrego da Ilha e Mangueiras, que ainda estão sendo construídas. Ela ressalta que as creches foram uma reivindicação dela e de outros vereadores.

Durante o período que esteve na Câmara dos Vereadores realizou um grande sonho; fazer uma faculdade. Conceição fez o curso de Gestão Pública. “Era um sonho colocar aquela beca e formar em um curso superior agradeci muito a Deus”, conta.

Hoje, depois de ter passado quatro anos como vereadora e ter sido a candidata mais votada da cidade na última eleição, mas não ter sido eleita, devida à coligação partidária, continua trabalhando em prol do outro e atuando como se continuasse na câmara.

“Eu não preciso de cadeira para ajudar a população, preciso de saúde e essa Deus tem me dado. Continuo fazendo o mesmo trabalho como vereadora, mas como cidadã”

A ex-vereadora faz reuniões nos bairros, envia ofícios para o Executivo, ministra palestras sobre saúde e relacionamento entre pais e filhos nas escolas e igreja e sempre participa de eventos públicos.

Ela diz que o povo sabarense não precisa só de obra, ele quer principalmente ser ouvido.

“Quando nós entendermos que somos todos iguais, que ninguém é melhor que ninguém e que devemos estender as mãos e ajudar o outro, o Mundo vai ser muito melhor. Vamos viver em um mundo de alegria, união e dignidade”, conclui.

SOCIAIS
02 DE ABRIL DE 2015
Campanha Eu amo minha mãe!
19 DE ABRIL DE 2017
Centenárias celebram a vida
08 DE JUNHO DE 2017
Homenagem a Dona Therezinha
25 DE SETEMBRO DE 2017
Pão da Solidariedade
17 DE MAIO DE 2017
Muita alegria com o GECON
01 DE SETEMBRO DE 2017
Professor Carlão diz adeus!
20 DE FEVEREIRO DE 2017
Ligando amigos para celebrar a vida
17 DE MAIO DE 2017
Adeus à Neide Clark
29 DE AGOSTO DE 2017
A incansável luta pela vida
08 DE AGOSTO DE 2017
36 anos de amor e dedicação
22 DE MARÇO DE 2017
Uma nota que se cala
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados