QUARTA-FEIRA, 17 DE JAN DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - MEIO AMBIENTE
27 DE DEZEMBRO DE 2017
Meio Ambiente e Ciência: Energia na minha cidade

Prêmio ArcelorMittal 2017 valoriza a prática científica e o trabalho coletivo nas comunidades

O Prêmio ArcelorMittal 2017 deu prosseguimento ao novo formato desenvolvido em 2016, valorizando o conhecimento científico e aprofundando na questão da energia. Com o tema Meio Ambiente e Ciência: a energia na minha cidade, o concurso convidou professores e estudantes a lançarem um olhar crítico para sua localidade e a desenvolverem projetos voltados para a realidade da comunidade onde estão inseridos.

Este ano 12 escolas participaram do prêmio, sendo 10 escolas municipais de Sabará e duas de Taquaraçu de Minas. O prêmio Cientista Jovem I e II ficou com a Escola Municipal Raimundo das Chagas Quintão de Taquaraçu de Minas, com os projetos: “Energia limpa para o Organismo: Biofertilizante”, desenvolvido pelos alunos do 6º e 7º ano e “ Energia limpa para os moradores do campo: Biodigestores”, feito pelos alunos do 8º e 9º ano.

Nas categorias Cientista Mirim I e II o prêmio ficou para Sabará. A Escola Municipal Professora Elza Soares de General Carneiro ganhou a categoria Cientista Mirim I com o projeto; “Energia dos Alimentos”, o pedagogo Cláudio Roque foi o idealizador do projeto, ele diz que optou por trabalhar a energia dos alimentos por estar mais próximo da realidade das crianças e por ser de mais fácil entendimento. O pedagogo explica que todas as turmas do 1º ao 3º ano participaram, ficando cada série responsável por uma etapa. O 1º ano trabalhou conhecendo melhor as frutas, sementes e oleaginosas, como soja e amendoim, experimentando e aprendendo a diferenciá-las; o 2º ano pesquisou onde esses alimentos são mais consumidos e também levaram receitas que podem ser feitas com os produtos e por fim o 3º ano estudou como nosso organismo absorve a energia desses alimentos e quais os efeitos de cada um em nosso corpo. A culminância do projeto aconteceu com um evento cultural, onde todos os alunos, professores e família se reuniram e puderam experimentar várias receitas feitas de banana, mandioca, amendoim e outros alimentos.

Já a vencedora na categoria Cientista Mirim II ficou com Escola Municipal Vereador Geraldo Feitoza de Nações Unidas com o projeto “Energia da Cidade – Energia dos Alimentos”, os alunos do 5º ano trabalharam com a horta que já existe na escola. Foi aprendido a compostagem orgânica que era produzida através dos próprios alimentos da horta que não estavam adequados para o consumo.

A professora responsável pela coordenação, Carolina Carina, diz que através do adubo orgânico os alunos também aprenderam a plantar. Ela diz que tudo que é produzido na horta é consumido na escola e também distribuído entre alunos, professores e outros funcionários da escola.

A secretária de Educação de Sabará, Marta Del Rio, ressalta que o tema foi muito importante, porque abordou a energia no município, trazendo os estudantes para a realidade da comunidade onde vivem.

A analista de Meio Ambiente da Trefilaria da ArcelorMittal, Lucíola Santos, explica que para a escolha dos primeiros projetos são avaliados o desenvolvimento, a criatividade, o trabalho em equipe, a utilização de recursos que já estão disponíveis e ainda a possibilidade de aplicação. “É importante desenvolver algo que tenha possibilidade de ser aplicado. O sentido é esse. Este ano os projetos foram super positivo”, diz.

O diretor de Trefilaria da Unidade Sabará, Glauco Oliveira, destacou que além de despertar uma consciência ambiental, é fundamental no ponto de vista educacional. “É uma iniciativa muito importante para dar o reconhecimento aos professores e diretores de escola envolvidos no projeto”, afirmou. E ainda ressaltou que para empresa é importante no sentido de integração com a comunidade onde está inserida.

Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente

O prêmio envolve 73.387 alunos; 2.380 educadores e 364 escolas espalhadas em quase 40 cidades do país onde tem atuação da ArcelorMittal. Em Sabará e Taquaraçu de Minas mais de seis mil alunos e 80 professores de 12 escolas participaram do projeto.

Para a empresa todos os projetos entregues foram extremamente importantes, cada ideia pensada e desenvolvida pelos alunos mostra a consciência ambiental que já vem sendo formada nas escolas da rede municipal, ampliando a percepção de cuidado que visivelmente esse projeto gerou nos alunos. Além das escolas premiadas, as escolas abaixo também se destacaram pelos projetos desenvolvidos, com envolvimento dos alunos. Conheça os projetos:

- Escola Municipal Carlos Sá, com os projetos Banana Verde: Fonte de Energia e Energia Solar: mudança ou consequência

- Escola Municipal José Rodrigues da Silva, com o projeto Consumo consciente: economia e meio ambiente

- Escola Municipal Afonso Maria da Silva, com o projeto Energia sustentável: o caminho é o sol

- Escola Municipal Professora Tiná Costa, com o projeto Alimente-se bem e movimente-se

- Escola Municipal Adão de Fátima, com o projeto Óleo recolhido, dever cumprido

- Escola Municipal Edith de Assis Costa, com o projeto Júri Simulado sobre ligações clandestinas de luz, “Gatos”!

- Escola Municipal Ordália Ferreira Campos, com o projeto Espaço sustentável: porque viver em harmonia com o ambiente é proteger a vida.

MEIO AMBIENTE
06 DE OUTUBRO DE 2017
Horário de Verão será mantido
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados