DOMINGO, 22 DE JUL DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - CULTURA
21 DE NOVEMBRO DE 2017
Poeta das imagens

Nessa edição do “Cantinho do Escritor Sabarense”, trazemos um poeta que descobriu as palavras através das imagens e tem se destacado nas artes plásticas, por isso, talvez muita gente não saiba que o talentoso artista plástico Sérgio Pacheco, também tem o dom das letras e tem um livro, em um única edição que se encontram na Biblioteca Pública de Sabará.

Sérgio Pacheco nasceu em Belo Horizonte, passou por Montes Claros e fincou seus pés em Sabará em 1983. Ele diz que desde muito novo se aproximou das artes plásticas e foi através de seus desenhos que passou a se interessar pela escrita. “Uma das coisas que me incentivou a escrever foi o fato de estar sempre ilustrando textos e poemas de autores de renomes e também aqueles que ainda estavam no anonimato”, conta.

O período que viveu em Montes Claros foi fundamental para sua arte. “Quando morei lá estava saindo da adolescência. Montes Claros é um lugar onde a cultura é muito efervescente. As pessoas que trabalham com arte na cidade são apaixonadas pelo que fazem e eu me contaminei com essa mania de muitos serem poetas, músicos e artistas plásticos. Você experimenta de tudo”, lembra.

Foi na cidade do norte de Minas que Serginho, como é mais conhecido, passou a ilustrar poemas que eram publicados no jornal da cidade, daí para começar a escrever foi um “pulo”. Nessa época o Brasil estava em plena a Ditadura Militar e a repressão influenciava diretamente na forma de escrever de todos que estavam envolvidos nesse processo. “Essa repressão era combustível para que nós fizéssemos uma poesia mais engajada, mas também tinha o outro lado paz e amor, influenciado pelos Hippies. Os poemas se dividiam nesses assuntos”, diz.

Tudo isso foi influência para Serginho, mas tudo que é vivenciado e apreciado por ele, está refletido em sua arte, seja nos poemas ou nas pinturas, desenhos e esculturas. Suas poesias falam da natureza, da política e do lado espiritual, tudo está impresso em suas palavras. Não é à toa que seu livro leva o nome de “Vivência Poética”.

O livro é uma coletânea de textos publicados no Diário da Tarde, Suplemento Literário do Estado de Minas, e claro, na Folha de Sabará e também em outros jornais. Ele explica que o livro tem apenas um exemplar e foi publicado especialmente para a Biblioteca Pública de Sabará. Existe ainda no Cantinho do Escritor, outra coletânea do autor que foi encadernada, reunindo diversas publicações de contos e poemas.

O Vivência Poética pode ser encontrado também em formato virtual, os interessados podem encontrá-lo no site www.bubok.pt. Além disso, o escritor tem um blog, onde publica seus textos www.sergiopachecopoesias.blogspot.com.

Serginho diz que seus poemas, além de publicados, sempre que possível, são declamados em saraus. “Quando escrevemos temos que publicar, temos que declamar nas ruas, nas praças. Temos que mostrar que somos poetas”, destaca.

Para concluir, o poeta e artista plástico ressalta a importância da escrita. “Escrever, desenhar, pintar, rabiscar, gesticular e cantar são expressões inerentes dos seres humanos. Mesmo com todas essas faculdades ainda somos limitados em nossas comunicações por mais explícitos que queiramos ser. Dentre todos esses dons,escrever é a expressão que mais traduz as necessidades da alma, a que mais transcende e nos faz responsáveis por todos os seres vivos. Escrever é coisa muito séria”.

CULTURA
08 DE MARÇO DE 2018
Paixão pela literatura
27 DE ABRIL DE 2015
REGISTRO ÚNICO E INOVADOR
07 DE AGOSTO DE 2017
Paixão por contrastes e misturas
31 DE OUTUBRO DE 2017
Dez anos do Sarau de Sabará
05 DE MARÇO DE 2018
Carnaval da paz e da Alegria
05 DE MARÇO DE 2018
Paixão pela literatura
29 DE MARÇO DE 2018
Mensageiros da paz e da alegria
13 DE OUTUBRO DE 2017
Diário de uma Alma
13 DE OUTUBRO DE 2017
Entre duas Pátrias
26 DE DEZEMBRO DE 2017
Paixões de uma vida em livros
21 DE NOVEMBRO DE 2017
Poeta das imagens
05 DE MARÇO DE 2018
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados