SEXTA-FEIRA, 17 DE AGO DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - MEIO AMBIENTE
31 DE OUTUBRO DE 2017
Especialista fala sobre como evitar o aparecimento de escorpiões

Como já mostramos na última edição, moradores de vários bairros de Sabará estão sofrendo com a infestação de escorpiões. Os artrópodes foram encontrados principalmente nos bairros Águas Férreas, Villa Real e Morada da Serra, tendo inclusive invadido a Escola Municipal José Rodrigues da Silva, Morada da Serra, levando pânico a pais, alunos e funcionários.

Nesta edição conversamos com um especialista sobre o tão temido animal, William H. Stutz é médico veterinário sanitarista especialista em animais peçonhentos da Secretaria de Saúde de Uberlândia e Colaborador da Coordenação Nacional de Controle de Animais Peçonhentos do Ministério da Saúde. Ele esclarece qual o ambiente propício para o aparecimento, o que devemos evitar e como se proceder caso aconteça algum acidente e destaca ainda os benefícios do escorpião. Estranho? Não, por incrível que pareça esse bicho tão rejeitado tem suas qualidades.

O médico explica que os escorpiões se adaptam muito bem ao ambiente humano, pois ali encontram tudo que necessitam: água (umidade), abrigo (entulho, jardins exuberantes, quintais sujos, caixas de passagem e gordura quebradas) e alimento (principalmente baratas).

Logo, ele destaca que para impedir o aparecimento de escorpiões as pessoas devem evitar as situações citadas, mantendo os imóveis limpos e livres de baratas e ainda vedar o possível acesso deles às casas, fechando as caixas de passagem e gordura e também os ralos de banheiros e áreas de serviço, utilizando ralos giratórios ou equipamento de vedação próprio. É importante acondicionar o lixo adequadamente e entregá-lo para o lixeiro nos horários de coleta. “Somos donos do lixo que produzimos. Nunca devemos jogar lixo em terrenos baldios, pois este atrairá insetos e consequentemente escorpiões”, ressalta.

Segundo relatos dos moradores, a infestação na cidade é do escorpião amarelo (Tityus serrulatus) que de acordo com o especialista é o que oferece maior gravidade em seus acidentes e, é o que predomina em Minas. Ele explica que é a espécie que se espalha mais rapidamente pelo Brasil posto que sua reprodução se dá por partenogênese ou seja, só existem fêmeas nesta espécie. A maioria das aproximadamente 160 espécies do Brasil apresenta dimorfismo sexual, ou seja, existem machos e fêmeas, diferente do escorpião amarelo. Outro dado preocupante, Minas é o estado campeão de acidentes e óbitos por escorpião do país, sinal que devemos ficar mais alertas.

William Stutz diz que em caso de acidente com escorpião deve-se procurar orientação médica imediatamente, pois somente ele poderá avaliar a necessidade ou não da utilização do soro antiveneno. Ressalta ainda que não se deve passar nada no local e que uma bolsa com água morna ajuda um pouco aliviar a dor, até chegar ao socorro. O hospital referência na região é o João XXIII, em Belo Horizonte, para onde a pessoa deve ser encaminhada imediatamente. O veterinário destaca também que crianças, idosos e enfermos com baixa imunidade são os grupos menos resistentes ao veneno do escorpião, tornando o acidente ainda mais grave, porém, todo caso deve ser avaliado.

Embora o veneno do escorpião possa matar em poucas horas, ele tem suas vantagens. Segundo o especialista, o veneno do escorpião tem uma série de propriedades terapêuticas, além do uso de seu próprio veneno para produzir o soro que salva. Porém, por ser um animal sinantrópico (aqueles que colonizam habitações humanas e seus arredores retirando vantagens em matéria de abrigo, acesso a alimentos e a água) a convivência se torna impossível com gente humana. A captura desses animais vivos e o envio para instituições de pesquisa deve ser objeto de atenção dos órgãos públicos. Ação esta que, além de ajudar na pesquisa, diminui expressivamente a população dos animais em áreas habitadas, reduzindo o risco de acidentes. Os órgãos de saúde devem realizar sistematicamente captura, busca ativa de escorpiões como preconizado no Manual de Controle de Escorpiões do Ministério da Saúde (disponível para download no site do Ministério).

Para finalizar, o médico veterinário salienta mais uma vez que limpeza, acondicionamento e destinação adequada de lixo significam pouquíssima chance de presença de escorpiões.

MEIO AMBIENTE
08 DE FEVEREIRO DE 2018
Alerta em períodos chuvosos
08 DE FEVEREIRO DE 2018
29 DE MARÇO DE 2018
Vizinhos do Aterro
06 DE OUTUBRO DE 2017
Horário de Verão será mantido
02 DE ABRIL DE 2018
Outdoor por todas as partes
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados