DOMINGO, 19 DE NOV DE 2017
Untitled Document
NOTICIÁRIO - GERAIS
05 DE JULHO DE 2017
Atlas aponta Sabará como a terceira cidade mais violenta de Minas Gerais

Os números da pesquisa revelam taxa de 54,3 mortes para cada 100 mil habitantes. Segundo Comandante do 61º Batalhão da PM de Sabará, falta de punição contribui para o alto índice.

No dia 6 de junho foi divulgado o resultado do Atlas da Violência 2017, elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O estudo analisa os números e as taxas de homicídio no país entre 2005 e 2015 e detalha os dados por regiões, Unidades da Federação e municípios com mais de 100 mil habitantes.

O levantamento aponta Sabará como a terceira cidade mais violenta do Estado, registrando 54,3 assassinatos e mortes violentas com causa indeterminadas, para cada 100 mil habitantes. Em primeiro e segundo lugar aparece Betim, com 65,2 óbitos e Vespasiano que registrou 56,5, respectivamente.

De acordo com o Comandante do 61º Batalhão da Policia Militar de Sabará, Tenente-Coronel Mauro Lúcio, a criminalidade tem caído no município.

Segundo o comandante, o que os números do estudo revelam são espantosos, mas existem alguns fatores que contribuem para essa realidade e devem ser ressaltados. Ele afirma que em 2015 a Policia Militar atendeu em Minas 2 milhões de ocorrências, conduziu para delegacia 297 mil pessoas. Dessas pessoas, apenas 1% chegaram ao processo final, ou seja, foram presas ou absolvidas, após um julgamento. O comandante destaca este ponto como um dos motivos para a alta da criminalidade, ou seja, a falta de punição, o que demonstra uma falha do judiciário.

Outro problema causador da criminalidade são os indicadores sociais em declínio nos últimos anos. Grande parte da sociedade brasileira está empobrecendo nos últimos anos, o que também favorece o crescimento da violência.

Focando no ano de 2015 e 2016, quando teve um aumento da criminalidade em Sabará, o comandante afirma que nesse período a Polícia Militar em todo estado estava com uma estrutura deficitária, tanto na parte logística quanto no efetivo. A PM sofria com problemas nas viaturas e também com militares.

A partir de 2016, segundo ele, a Polícia Militar do estado recebeu reforços. Para a área que o 61º Batalhão atende que inclui Sabará, Caeté, Nova União e Taquaraçu de Minas foram enviadas 27 viaturas, sendo que a maioria ficou em Sabará. “Dessa forma conseguimos ocupar os espaços onde a criminalidade é maior na cidade”, diz o comandante.

Além das viaturas, 20 novos soldados chegaram para atuar na cidade, com o reforço logístico e humano, a PM em Sabará passou a ter mais condições de realizar operação. O comandante ressalta a grande apreensão de armas de fogo, só este ano até a primeira semana de junho foram apreendidas 120 unidades. Em relação ao ano passado foi um aumento de 12,15% de apreensão. “ Todas as vezes que apreendemos um revólver ou uma pistola, conseguimos prevenir muitos homicídios”, diz o tenente.

Ele aponta ainda que os homicídios reduziram na área do batalhão. Em 2016, entre janeiro e junho foram 33 assassinatos, este ano foram registrados 24 até a segunda semana de junho.

Em relação ao perfil das vítimas de homicídios em Sabará, o comandante afirma que 97% dos crimes estão relacionados ao tráfico. “Normalmente é o usuário que fica devendo o traficante, briga de gangues por pontos de tráfico”, diz o tenente. Ainda segundo ele, 3% é crime passional, muitos acontecem dentro de casa, já o índice de homicídios em relação à latrocínio, que é o roubo seguido de morte é muito baixo, praticamente não tem em nossa região.

O tenente-coronel Mauro Lúcio ressalta que o trabalho tem sido intenso o que tem contribuído para redução também de crimes violentos , como assalto, homicídio, extorsão, seqüestro que reduziram em 26,8%.

O comandante destaca que a segurança pública é dever de todos, além da Polícia Militar, tem a Polícia Civil, a Guarda Municipal, o Ministério Público, o Poder Judiciário, o Executivo Municipal e toda a sociedade. Ele diz que reuniões com a comunidade, através da Rede de Vizinhos e Rede de Comerciantes, novos pontos de Apoio da PM em determinadas regiões da cidade, tudo isso tem contribuído com a redução da criminalidade.

Para finalizar, o tenente alerta a população sobre a importância em sua participação na redução da criminalidade, seja através de denúncias, quando suspeitar de movimentos estranhos e do registro de Boletim de Ocorrência, quando algo acontecer, mesmo que seja um simples furto de celular.

Brasil e Minas Gerais

O Brasil registrou, em 2015, 59.080 homicídios. Isso significa 28,9 mortes a cada 100 mil habitantes. Os números representam uma mudança de patamar nesse indicador em relação a 2005, quando ocorreram 48.136 homicídios. Apenas 2% dos municípios brasileiros (111) respondiam, em 2015, por metade dos casos de homicídio no país, e 10% dos municípios (557) concentraram 76,5% do total de mortes.

Minas Gerais registrou 21,7 mortes a cada 100 mil habitantes, em 2015. Foram 4532 durante o ano. Em 2005, o Estado teve 4.223 homicídios e registrou 22 mortes pra cada 100 mil habitantes.

Os números de Sabará estão acima da média nacional e estadual.

GERAIS
26 DE DEZEMBRO DE 2016
COLUNA MG
05 DE JANEIRO DE 2017
REDE SINDIJORI DE COMUNICAÇÃO
25 DE SETEMBRO DE 2017
Carnaval dos Enxutões
27 DE ABRIL DE 2015
Rede Sindijori de Comunicação
18 DE OUTUBRO DE 2016
20 DE FEVEREIRO DE 2017
Ande de acordo com a lei
29 DE AGOSTO DE 2017
AngloGold testa sirene no Pompéu
31 DE OUTUBRO DE 2017
Uma tradição milenar
01 DE FEVEREIRO DE 2017
REDE SINDIJORI DE COMUNICAÇÃO
22 DE MARÇO DE 2017
Corrente do Bem
17 DE JULHO DE 2017
Mãe Belgo
17 DE JULHO DE 2017
Cultura, diversão e inovação
17 DE JULHO DE 2017
Nova Era: ArcelorMittal
29 DE AGOSTO DE 2017
Romance em contos
28 DE SETEMBRO DE 2017
22 DE MARÇO DE 2017
Não existe hora de parar
08 DE AGOSTO DE 2017
08 DE AGOSTO DE 2017
Alerta as Prefeituras
18 DE JULHO DE 2017
Aluguel sem burocracia
28 DE SETEMBRO DE 2017
ACESSO PARA TODOS
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados