DOMINGO, 19 DE NOV DE 2017
Untitled Document
NOTICIÁRIO - RELIGIÃO
29 DE JUNHO DE 2017
Festa do Divino: tradição secular

Nos dias 3 e 4 de junho Sabará celebrou mais uma vez a Festa do Divino. A tradição e a fé no Espírito Santo mantêm viva a celebração que acontece no Domingo de Pentecoste, 50 dias após o Domingo de Páscoa, comemorando a descida do Divino Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo.

Este ano os responsáveis pela festa foram o casal de Imperadores Odilon Servo Ferreira e Maria da Conceição Ferreira e o Mordomo Henrique Augusto Varela Gomes.

O Imperador Odilon diz que sua relação com o Espírito Santo existe desde criança, quando acompanhava as festas e achava tudo muito lindo. Apesar de ter desejado se tornar sócio da Sociedade do Divino Espírito Santo há mais de dez anos, foi só em 2015 que conseguiu se integrar à sociedade, e em apenas dois anos já foi sorteado para ser o responsável pela festa.

Os preparativos começaram muitos meses antes da festa. O Imperador diz que é muito trabalhoso e só com muita fé e apoio foi possível concluir, mas tudo valeu a pena. Odilon diz que desde quando foi sorteado, sua vida mudou. “Eu nasci de novo, minha capacidade virou outra, fiquei até mais jovem” destaca.

O imperador sempre foi devoto do Divino Espírito Santo e desde criança teve muita fé. Ele conta uma passagem em que acredita que foi um milagre do Espírito Santo. “Aconteceu no dia da Festa do Divino, no domingo pela manhã eu tinha recebido a coroa consagrada (no encerramento da festa o imperador impõe a coroa sob a cabeça dos fiéis), à tarde fui com minha família fazer uma passeio. Passei em uma estrada antiga, como tinha chovido muito, tinha muita lama e era praticamente impossível passar. Atravessei com a camionete deslizando, eu e meu genro passamos em um lugar estreito, qualquer deslize poderia acontecer o pior, mas o Divino Espírito Santo não deixou. Isso pra mim foi um milagre! Nesse dia minha fé dobrou!”, conta.

O Mordomo Henrique Gomes também fala de sua fé. Ele diz que sua devoção com o Divino Espírito Santo foi incentivada pela sua mãe. “Desde criança participava da festa a acompanhando. Sem falar que para onde fosse, na mochila ou no bolso, lá estava a medalhinha do Divino Espírito Santo colocada por minha mãe”.

Para ele, foi uma surpresa muito grande ser sorteado. “Eu não contava com essa possibilidade. Meu pai havia me colocado como sócio, é apenas o meu segundo ano como associado e já fui sorteado. É muito legal ver o envolvimento de tanta gente na festa e como ela é importante para a sociedade Sabarense”, diz.

A festa aconteceu nos dias 3 e 4, mas a visita do Divino Espírito Santo aos lares da cidade antecederam as comemorações. Por quarenta dias Mordomo ou Imperador vão às casas das pessoas com a imagem do Divino e lá cantam e fazem orações celebrando a fé no Espírito Santo.

No sábado, primeiro dia de festa, a Bandeira do Divino saiu à noite da casa do Mordomo e seguiu em procissão até a Igreja do Carmo, onde foi celebrada uma missa. Em seguida a procissão continuou até a Igreja Nossa Senhora do Ó, onde foram realizados os tradicionais levantamento da Bandeira, fogueira do Divino e queima de fogos. Toda cerimônia foi acompanha pelas Sociedades Musicais Santa Cecília e Santa Lúcia.

No domingo uma missa campal realizada em frente à Igreja Nossa Senhora do Ó abriu as celebrações. Em seguida uma procissão seguiu até a Igreja Nossa Senhora da Conceição, onde aconteceu o encerramento da festa com a imposição da coroa sobre a cabeça dos fiéis e sorteio da corte para 2018. Os nomes sorteados foram Manoel Pedro da Silva para Imperador e Renato Flaviano Pereira como Mordomo.

RELIGIÃO
18 DE DEZEMBRO DE 2015
Papa Francisco completa 79 anos
11 DE ABRIL DE 2017
SEMANA SANTA 2017
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados