SEGUNDA-FEIRA, 15 DE OUT DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - EDUCAÇÃO
18 DE ABRIL DE 2017
Estudante de Sabará é bronze na Olimpíada de Matemática

Christian Rodrigues é medalhista pela segunda vez em competição nacional

A matemática nunca foi um bicho de sete cabeças para Christian Rodrigues de Oliveira de 17 anos. O estudante participou de todas as edições da Olimpíada Brasileira de Matemática de Escola Pública (OBMEP) entre 2010 e 2016 e apenas em 2012 não foi premiado.

A última, 2016, Christian ganhou medalha de bronze, repetindo o sucesso de 2013, quando também levou para a casa o bronze. Nas edições em que não conquistou a medalha o estudante ganhou diploma de Menção Honrosa.

Christian explica que a premiação é feita para mais de três mil alunos. Os 500 melhores levam o ouro, 1.500 a prata e 2000 o bronze, em um universo de milhares alunos, já que inclui todas as escolas públicas do país.

Embora já gostasse de números, o interesse de Christian pela matemática aflorou no ensino fundamental com a professora Sônia da Escola Estadual Cristiano Guimarães. Ele conta que a professora sempre incentivou os alunos o estudo da matéria, tornando aquilo mais interessante. Ainda na sala de aula, Christian passou a ser uma referência quando o assunto era a matemática. “Sempre quando alguém tinha dúvida me perguntava. Eu fazia a atividade e depois ajudava meus colegas a fazerem, sempre foi assim, com isso memorizava mais, pois acabava fazendo as questões várias vezes”, diz.

Como o estudo na sala de aula era intensivo, o estudante fala que não estudava muito em casa, pois já tinha memorizado durante as aulas. No ensino médio o ritmo continuou o mesmo, sempre ajudando os colegas em sala de aula.

Para a Olimpíada, Christian diz que não precisou intensificar tantos os estudos, pois já era algo natural estudar em sala de aula, fez apenas algumas revisões. “A prova é mais questão de lógica, então não precisei mudar muita coisa. Tanto que na prova de 2013 quando ganhei o bronze, não cheguei a concluir a prova, porque estava passando mal no dia e mesmo assim ganhei a medalha”, conta.

Ele explica que a disputa tem duas fases, a primeira é na escola, os mais bem classificados vão para segunda fase que é geral. Nessa fase, todas as questões são abertas, o aluno tem que resolver os cálculos e justificar a resposta.

Para alcançar todas essas conquistas, Christian disse que sempre teve o apoio da família, o pai, Rogério Sales que é químico e a mãe, Elielbia Oliveira, administradora, que se enchem de orgulho em falar do filho prodígio. “Ele tem muita facilidade com a matemática. Fico impressionado que ele nem estuda em casa e na sala de aula ele fecha as provas e ainda ensina seus colegas. Em casa, dedica seu tempo ao Mangá, tem uma coleção com mais de 200 revistinhas de desenhos japonês, que é seu maior hobby”, conta o pai.

Os professores também sempre o incentivaram. “Começou com a professora de matemática, Sônia do Cristiano Guimarães, a professora Cintia de português e também o Inácio, professor de História e diretor da escola. No ensino médio, na Escola Estadual Zoroastro, o professor de matemática sempre me elogiava”, conta. Os colegas também incentivavam, estudavam juntos e alguns chegaram a participar da Olimpíada.

Quando ganhou a primeira medalha, a Escola Estadual Cristiano Guimarães fez uma homenagem ao aluno e a seus pais.

Além da medalha, Christian ganhou um curso totalmente voltado para matemática, oferecido pela UFMG, onde aprofunda o aprendizado em cálculos. Em 2014, o estudante fez o curso e agora em 2017 fará novamente, mas já em outro nível.

Christian fez o último Enem, mas não alcançou os pontos necessários para os cursos de matemática computacional ou ciência da computação que são aqueles que pretende fazer, este ano além do curso da UFMG, irá se dedicar para o ENEM.

EDUCAÇÃO
11 DE MAIO DE 2015
31 DE OUTUBRO DE 2017
Ação Promove SABARÁ
31 DE OUTUBRO DE 2017
Literatura sabarense
31 DE OUTUBRO DE 2017
Professores no limite
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados