SEGUNDA-FEIRA, 10 DE DEZ DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - GERAIS
22 DE MARÇO DE 2017
Cemig apoia registro da história e cultura de comunidades quilombolas

Seminário acontece em Berilo, no Vale do Jequitinhonha (MG), sábado, 25/3

O patrocínio da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, ajudou a viabilizar o resgate da história e da cultura de comunidades quilombolas pelo projeto Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória. No próximo sábado (25/3), de manhã, acontece em Berilo, no território do Alto Jequitinhonha (MG), o seminário “Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Cultura, Articulação e Empoderamento”, com a presença de representantes das comunidades, patrocinadores e autoridades, além da participação do Grupo Caboclo Surubim, de Chapada do Norte (MG). Durante a tarde, os participantes visitarão três comunidades quilombolas da região.

No mesmo dia, será lançado o livro “Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória”. Tendo como base a metodologia da história oral, o livro – além de 30 vídeos de curta duração e um portal com o resultado de toda a pesquisa – mostra a beleza, riqueza e diversidade do vale. A iniciativa, realizada pela Nota Musical Comunicação por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, recebeu ainda o patrocínio de Itaú, Petrobras e Finep, além do apoio de Milton Kanashiro Arte Cultura e Cidadania.

A pesquisa

Ao todo, 59 comunidades quilombolas de três municípios do Alto Jequitinhonha (Berilo, Chapada do Norte e Minas Novas) e de Virgem da Lapa, no território do Médio e Baixo Jequitinhonha, foram visitadas pela equipe do projeto, que participou de festas, encontros e apresentações marcadas especialmente para esses registros. Foram captadas cerca de 150 horas em vídeo, entrevistas e manifestações culturais, além de um grande acervo fotográfico. O acesso a todo material é gratuito e está disponível no site www.quilombosdojequitinhonha.com.br.

“Ancestralidade, alegrias, dificuldades, costumes, festas e conhecimentos tradicionais são revelados com muita emoção neste projeto. O trabalho realizado pela equipe serviu também para reforçar a certeza de que esta é uma região na qual o fazer do povo – seja na dança, na religião, na culinária ou na forma de lutar diariamente – é muito vivo. E isso tem colaborado para que esse grupo social resista ao sistema que tem violado seus direitos ao longo de décadas”, explica a organizadora do projeto, a jornalista Evanize Sydow.

Segundo Evanize, a determinação em manter intactas as tradições da festa de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos por 192 anos, em Chapada do Norte, já rendeu o seu registro como Patrimônio Imaterial e Cultural do Estado, concedido pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA). Essa e muitas outras manifestações culturais quilombolas, além de depoimentos que apresentam as histórias centenárias desse grupo social, incluindo temas como água, educação e religião, estão nos produtos resultantes do projeto Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória.

Programação:

Seminário “Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Cultura, Articulação e Empoderamento” e lançamento do livro “Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória”

Data: 25 de março de 2017, sábado, às 9 horas

Local: Clube RB, bairro Planaltino, Berilo (MG)

GERAIS
08 DE FEVEREIRO DE 2018
TÁ TUDO ERRADO
27 DE ABRIL DE 2015
Rede Sindijori de Comunicação
18 DE OUTUBRO DE 2016
03 DE JANEIRO DE 2018
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados