QUARTA-FEIRA, 25 DE ABR DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - GERAIS
22 DE MARÇO DE 2017
Não existe hora de parar

Mulheres chegam à maturidade com muita vitalidade e vontade de inovar e ser feliz

Se há algumas gerações alcançar certa idade era sinônimo de tristeza e de parar completamente as atividades, atualmente, a história é outra. As mulheres chegam à maturidade e ainda estão em plena a atividade, não querem parar, pelo contrário, o objetivo é continuar, aprender, inovar, realizar sonhos e ser feliz.

A expectativa de vida da brasileira cresce a cada ano. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado em dezembro de 2016, a expectativa de vida da brasileira é de 79,1, oito anos a mais que a do homem que é de 71,9. Logo, para aquelas que passaram dos 50, 60 ou 70 ainda é muito cedo, e todas têm muito que aprender e ensinar e estão dispostas a isso.

Dona Vicentina da Silva Castro é a prova que nunca é tarde para aprender. Foi após os 70 que ela aprendeu a nadar. Para quem tinha pânico de água, ela chegou muito longe. Por pelo menos quatro anos, Vicentina participou de campeonatos de natação e foram várias as medalhas conquistadas, sempre representando Sabará.

Foi também depois dessa idade que fez um curso de gerenciamento e assumiu a vice-presidência da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), onde ficou por quatro anos. Na instituição, antes de se tornar vice-presidente fez vários cursos, como de jardinagem, reciclagem, crochê e cabeleireiro.

A relação com a APAE é antiga. Vicentina tem um filho de 34 anos que é especial, hoje a maior parte de seu tempo é dedicada a Ronald. Acorda cedo, às 5 horas já está de pé, arruma o café da manhã para o filho, o leva até o ponto de ônibus e ainda pela manhã arruma a casa, faz o almoço e ao meio dia busca o filho. Duas vezes por semana faz hidroginástica, acompanhando o filho e também se divertindo com as amigas. Além disso, as viagens fazem parte da vida de Vicentina. Ela está sempre viajando e nunca deixa Ronald sozinho.

A senhora de 77 anos não descansa. Ela também participa há 15 anos do Grupo de Convivência Juventude Bem Vivida e ainda faz parte do grupo de Seresta Sonhos e Serenatas que faz apresentações em várias partes de Sabará e também em diversas cidades do Estado.

Dessa forma, Vicentina leva uma vida feliz, sempre disposta à coisas novas, sem se preocupar com a idade. Ela é enfática ao dizer que a idade só lhe trouxe coisas boas.

Aprender também é um verbo que a pedagoga Cieslavia SusKi Torres, ou simplesmente Cila, não quer deixar de conjugar. O aprendizado pra ela é fundamental. Além de pedagogia, estudou psicologia e medicina chinesa (bacharelado, licenciatura e mestrado), atualmente está especializando em homeopatia e o próximo curso será o de nutrição esportiva. “Eu nunca vou parar de estudar, porque sempre tenho muito que aprender, a gente nunca sabe nada”, diz.

A vida de Cila é bem movimentada, acorda às 5h e dorme às 2 da manhã. Às 6h30 já está na piscina dando aula de natação ou hidroginástica, também dá aula de Yoga e trabalha como personal trainer. Divide seu tempo entre Belo Horizonte e Sabará. Aqui atua em sua academia, a Sattwa e na Clínica Polimed, montada há mais de 30 anos, por ela e por seu marido Dr. Antônio que é médico ginecologista e obstetra . Na capital, trabalha com massoterapia, medicina chinesa, yoga e personal. Em casa também tem muito serviço. Lava roupa, cozinha, varre, passa, enfim todo o trabalho que uma casa dá. Além disso, dedica duas horas do seu dia aos estudos. E o horário que lhe resta é de meia noite às duas da manhã, isso, todos os dias.

A vida de Cila sempre foi agitada, começou a trabalhar aos 15 anos e não parou mais. Estudou, casou, criou os três filhos, hoje os dois filhos fisioterapeutas trabalham com ela, o engenheiro também contribui na parte administrativa.

Apesar de tanta correria e agitação, Cila diz que tem prazer em trabalhar, pois faz aquilo que ama. “Não sinto falta de viajar e passear, pois meu maior prazer é meu trabalho”, diz. Como tem vários alunos que precisam de reabilitação, tanto crianças como adultos, conta que é muito satisfatório ver a progressão deles. “Eu amo o que faço. A minha vida é a minha profissão e meus estudos”, ressalta.

“Minha vida é isso. Viver na simplicidade, fazendo o que eu gosto. Estou sempre na atividade e sempre saudável. Assim eu pretendo continuar até quando eu estiver aqui na terra”, conclui.

GERAIS
25 DE SETEMBRO DE 2017
Carnaval dos Enxutões
08 DE FEVEREIRO DE 2018
TÁ TUDO ERRADO
27 DE ABRIL DE 2015
Rede Sindijori de Comunicação
18 DE OUTUBRO DE 2016
20 DE FEVEREIRO DE 2017
Ande de acordo com a lei
29 DE AGOSTO DE 2017
AngloGold testa sirene no Pompéu
31 DE OUTUBRO DE 2017
Uma tradição milenar
17 DE JULHO DE 2017
Mãe Belgo
17 DE JULHO DE 2017
Cultura, diversão e inovação
17 DE JULHO DE 2017
Nova Era: ArcelorMittal
29 DE AGOSTO DE 2017
Romance em contos
21 DE NOVEMBRO DE 2017
Quanto custa morrer?
03 DE JANEIRO DE 2018
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
28 DE SETEMBRO DE 2017
08 DE AGOSTO DE 2017
08 DE AGOSTO DE 2017
Alerta as Prefeituras
18 DE JULHO DE 2017
Aluguel sem burocracia
28 DE SETEMBRO DE 2017
ACESSO PARA TODOS
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados