SEXTA-FEIRA, 23 DE FEV DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - CULTURA
03 DE FEVEREIRO DE 2017
Contando, cantando e encantando

A arte do Cantarolê é cantar, contar histórias e brincar. Um trabalho que leva e traz muitas alegrias, tendo a música autoral como base. O casal Zé Alves e Isabel Cristina traduz nas canções, seus sentimentos, suas emoções e a maneira simples de ver as coisas.

Criado há cerca de 10 anos o Cantarolê nasceu com a junção do trabalho de Zé e Isabel Ela é professora, ele é músico. A professora (que hoje também pode ser chamada de musicista, já que sobra talento) sempre foi uma apaixonada pela música e por isso suas aulas eram entremeadas pela canção com o objetivo de facilitar o aprendizado dos pequenos.

“Eu sempre cantei, mas usava músicas conhecidas nas salas de aula, depois resolvi criar as próprias canções com temas relacionados ao que seria ensinado”, diz Isabel. Foi a partir daí que as aulas com músicas se transformaram em um projeto. Casada com um músico, eles passaram a compor juntos. Criavam as letras, as melodias e tudo era levado para a sala de aula. A ideia deu muito certo, então eles passaram a cantar e apresentar em outros lugares, além das escolas.

Além da música, a dupla introduziu a contação de histórias, ainda em sala de aula, já que também era um método usado pela professora para incentivar a leitura. Daí surgiu o nome, Cantarolê!

Durante todo esse tempo o casal tem feito apresentações em escolas, hospitais, creches e alguns festivais. Os temas principais de suas canções é a natureza já que também são apaixonados e preocupados com o meio ambiente, mas o maio foco é sempre passar um aprendizado.

Há cerca de dois anos para aperfeiçoar seu talento o casal decidiu fazer aula de canto. Através da professora Adriana Lopes foram incentivados a divulgar de forma mais expressiva suas canções. Eles resolveram produzir o show “Cantar”, no espetáculo não há contação de histórias; é composto apenas por canções próprias. Foram reunidas composições de toda uma vida que estavam guardadas em um fundo de gaveta ali, uma fita cassete aqui e com isso se reuniu um riquíssimo material. “São música bem tranquilas, suaves, que nos remetem há outros lugares. Trabalham o que trazemos dentro de nós. Hoje estamos vivendo muito o imediatismo, então nos esquecemos de olhar um fim de tarde, ouvir o canto de um passarinho ou apreciar um ipê amarelo. A gente fala dessas coisas nas nossas canções”, diz Isabel.

Zé diz que o incentivo da professora foi extremamente importante, porque eles passaram a acreditar mais em suas músicas e foi isso que os impulsionou a realizar o show.

Até o momento Zé e Isabel fizeram duas apresentações que foram um sucesso. A primeira aconteceu no Pólo Cultural no dia 3 de setembro e a outra foi no dia 18 de novembro, com o apoio da ArcellorMittal os artistas se apresentaram no auditório da empresa e teve a plateia lotada, não só por funcionários, mas por muitos convidados, já que foi aberto ao público.

A intenção do casal é continuar com os shows este ano, mas não deixarão de lado o trabalho do Cantarolê, ou seja, a música e a contação de histórias. A dupla também está gravando um CD com suas músicas e histórias, onde também reúnem outros músicos. Eles afirmam ainda que futuramente a intenção é grava um CD com as musicas do show. “Eu digo que a história entra em nós e sai em forma de música, através do violão. Esse trabalho é o que nos move. Não podemos parar. Não podemos deixar de sonhar”, conclui Isabel.

Para quem quiser saber algo mais sobre o trabalho do casal entre em sua página no Facebook:

www.facebook.com/cantarole.

CULTURA
27 DE ABRIL DE 2015
REGISTRO ÚNICO E INOVADOR
08 DE JUNHO DE 2017
Festa de letras e encanto
07 DE AGOSTO DE 2017
Paixão por contrastes e misturas
31 DE OUTUBRO DE 2017
Dez anos do Sarau de Sabará
20 DE FEVEREIRO DE 2017
Aerofusca com muitas novidades
20 DE FEVEREIRO DE 2017
13 DE OUTUBRO DE 2017
Diário de uma Alma
13 DE OUTUBRO DE 2017
Entre duas Pátrias
26 DE DEZEMBRO DE 2017
Paixões de uma vida em livros
21 DE NOVEMBRO DE 2017
Poeta das imagens
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados