SÁBADO, 23 DE JUN DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - CULTURA
01 DE FEVEREIRO DE 2017
Obra narra a história de Sabará a partir do Período Imperial

“Sabará: Fragmentos de sua História no Período Imperial” é o novo livro do Edelberto Augusto Gomes Lima. O autor é natural de São Domingos do Prata, na região Leste do Estado, mas cresceu, estudou e se casou em Sabará, tornado-se a cidade a sua terra adotiva. O advogado aposentado é conhecido pelos amigos sabarenses como “Branquinho”. O livro, lançado este ano, é a 2° versão ampliada do título; a primeira versão era apenas em formato digital.

Edelberto já escreveu oito livros sobre sua terra natal e recentemente teve a ideia de escrever sobre a cidade que aprendeu a amar. O livro, como o próprio nome indica, é baseado na história e costumes de Sabará no período imperial, abrangendo desde o ano de 1835 até 1899. Há também referências sobre a cidade na fase republicana até o início do século XX.

A obra traz notas biográficas sobre alguns sabarenses ilustres nascidos no período do império, como Melo Vianna, Orozimbo Nonato, Júlio Ribeiro, Zoroastro Vieira Passos e também de um grande sabarense, já nascido na primeira metade do século XX, Alfredo Machado que, a seu juízo, foi o maior artista plástico de Sabará. Dos dois irmãos de Orozimbo Nonato, ambos naturais em Sabará, um foi prefeito de Belo Horizonte, embora por pouco tempo e o outro presidente do Tribunal de Justiça, enquanto Orozimbo, o foi do Supremo Tribunal Federal.

O escritor trás ainda em seu livro um artigo sobre a Revolução Liberal nas ruas de Sabará, bem como a indagação se a batalha final, com a participação do Duque de Caxias, teria ocorrido em Santa Luzia ou em Sabará. Edelberto Lima discorre ainda sobre um dos tesouros sabarenses, o Teatro Municipal – a Casa da Ópera de Sabará que, atualmente, está fechado para reforma. O livro traz um artigo sobre o teatro, o segundo mais antigo em atividade no Brasil, publicado por iniciativa do Palácio das Artes por ocasião de sua restauração em fevereiro de 1970.

O livro reproduz também os nomes de diversos povoados, curatos freguesias e vilas (hoje prósperos municípios), que pertenceram ao município de Sabará, tais como, entre outros, Curvelo, Sete Lagoas, Betim, Santa Luzia, Nova Lima, Esmeraldas e, como é de conhecimento de todos, Belo Horizonte.

A obra menciona diversos fatos e ofícios ocorridos na cidade; como por exemplo, em 1848, os sacristãos, desde que pré-avisados de algum incêndio, eram obrigados a tocar o sino para alertar a população. O livro “Sabará: Fragmentos de sua História no Período Imperial” é uma leitura para conhecermos e, porque não, entendermos as mudanças sofridas pela cidade e seu povo ao longo das décadas.

A obra pode ser encontrada na biblioteca da Faculdade de Sabará, na Biblioteca Municipal, na Casa de Borba Gato e na Borrachioteca de Sabará; além da Biblioteca Estadual Luiz de Bessa, em Belo Horizonte.

CULTURA
08 DE MARÇO DE 2018
Paixão pela literatura
27 DE ABRIL DE 2015
REGISTRO ÚNICO E INOVADOR
08 DE JUNHO DE 2017
Festa de letras e encanto
07 DE AGOSTO DE 2017
Paixão por contrastes e misturas
31 DE OUTUBRO DE 2017
Dez anos do Sarau de Sabará
05 DE MARÇO DE 2018
Carnaval da paz e da Alegria
05 DE MARÇO DE 2018
Paixão pela literatura
20 DE FEVEREIRO DE 2017
Aerofusca com muitas novidades
29 DE MARÇO DE 2018
Mensageiros da paz e da alegria
20 DE FEVEREIRO DE 2017
13 DE OUTUBRO DE 2017
Diário de uma Alma
13 DE OUTUBRO DE 2017
Entre duas Pátrias
26 DE DEZEMBRO DE 2017
Paixões de uma vida em livros
21 DE NOVEMBRO DE 2017
Poeta das imagens
05 DE MARÇO DE 2018
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados