DOMINGO, 23 DE JUL DE 2017
Untitled Document
EDITORIAS - ECONOMIA
17 DE JANEIRO DE 2017
Antecipar FGTS inativo quase sempre não é interessante

O Governo Federal ainda não liberou os saques das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) inativas, contudo, muitas instituições financeiras estão oferecendo os serviços de antecipação desses valores, cobrando, é claro, juros. Mas diante do cenário econômico instável pelo qual estamos passando, será que é correto e vale a pena antecipar?

Ao utilizar essa linha de crédito, os contribuintes, além de mostrar a falta de educação financeira, também podem perder rendimento, pois, para fazer essa antecipação, as instituições bancárias estarão retirando a parte delas, ou seja, juros.

Por isso, muito cuidado nessa hora! Sabemos que a crise afetou muitas pessoas de surpresa e que a situação não está fácil, mas já é hora de planejar e refletir sobre os hábitos financeiros e começar a mudar a relação com o dinheiro.

Primeiro ponto a ser levado em conta, vale a pena antecipar um valor que você receberá já no próximo mês? Só em casos extremos, como emergência de saúde ou quando a pessoa já está pagando taxas de juros mais altas como é o caso de cheque especial e cartão de crédito.

Entretanto, na maioria das vezes, os endividados, ao utilizarem essas ferramentas, apenas estão remediando o problema do descontrole financeiro, que voltará com mais força no futuro. Assim, antes de simplesmente buscar a antecipação, é necessário que se faça um bom diagnóstico financeiro, para combater o que está gerando esse problema financeiro.

Caso a pessoa esteja decidida a realizar o empréstimo, aconselho que faça uma pesquisa nos bancos. A disputa pelos clientes é tão grande que as taxas cobradas flutuam muito entre as instituições financeiras. A primeira pesquisa pode ser pela Internet, para, depois, sentar com o gerente do banco e negociar melhorias na proposta que eles oferecem.

Mas, se o caso não for de urgência, essa antecipação deve ser evitada ao máximo, pois com isso se perderá rendimento. Isso mesmo nos casos de quem quer usar para pagar IPTU, IPVA ou despesas escolares dos filhos, pois nesses casos é mais vantajoso usar o parcelamento proposto pelo próprio financiador, pois os juros embutidos ainda são menores do que os do banco.

Agora, para quem quer utilizar apenas para o consumo, ou para ‘aproveitar uma promoção imperdível’, é importante um alerta sobre a necessidade de repensar suas prioridades, pois, o que se observa é a total falta de educação financeira. Esse dinheiro do FGTS pode ser uma boa pedida, mas dinheiro extra deve sempre ser usado para a realização de sonhos, como planejar uma aposentadoria sustentável.

Reinaldo Domingos é doutor em Educação Financeira e terapeuta financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira, Abefin e Editora DSOP, autor do best-seller Terapia Financeira, dos lançamentos Papo Empreendedor e Sabedoria Financeira, entre outras obras.

ECONOMIA
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados