SEXTA-FEIRA, 15 DE DEZ DE 2017
Untitled Document
NOTICIÁRIO - SAÚDE
27 DE DEZEMBRO DE 2016
Casos de dengue sobem 96% no município em 2016

Os números são alarmantes! Minas Gerais aparece como um dos estados que mais apresentam cidades em situação de alerta e risco para Dengue, Zika e Chikunguny, são 80 municípios. Os dados são do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) de 2016, realizado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com os municípios.

Com a chegada do período de chuva, a população precisa ficar ainda mais atenta para evitar a proliferação do Aedes aegypti, transmissor das três doenças. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), neste ano Minas registrou, até o dia 28 de novembro, 526.060 casos prováveis de dengue, sendo confirmados 245 óbitos pela doença. A maioria dos pacientes (51%) apresentou faixa etária a partir de 65 anos de idade.

Ainda segundo a SES, até o final de novembro, foram registrados 477 casos prováveis de Chikungunya e 15.158 casos prováveis de Zika Vírus no Estado. Tradicionalmente, a maior concentração de casos se dá entre os meses de janeiro a abril. Agora com o período chuvoso a tendência é que os números voltem a crescer neste final de ano e no início de 2017.

Em Sabará, os números também assustam. Segundo a Secretaria de Comunicação da Prefeitura Municipal, em 2015, foram notificados 531 casos de dengue na cidade, sendo confirmados 64 casos. As maiores incidências ocorreram nos bairros de General Carneiro e Nossa Senhora de Fátima. No ano passado, não houve registros de casos de Zika Vírus e Chikungunya no município.

Já em 2016, ainda segundo a Prefeitura, foram notificados 10.558 casos prováveis de dengue em Sabará, sendo destes 1.375 confirmados; o que corresponde um aumento de 96%. Neste ano, houve um óbito confirmado por dengue, dois casos de Zika Vírus e nove casos de Chikungunya. Os bairros com maior incidência foram Alvorada, Nossa Senhora de Fátima e Nações Unidas. “Após avaliação a incidência neste ano, percebe-se que os diagnósticos estão em sua maioria relacionados a população com idade de 20 e 49; sendo esta uma população ativa de jovens adultos que transitam dentro do município e nas regiões limítrofes onde há maior incidência de casos”, completa a nota da Prefeitura.

A Prefeitura de Sabará esclarece ainda que todas as ações de combate ao mosquito estão efetivas como, tratamento focal com visitas domiciliares, mutirões de limpeza com remoções de inservíveis que possam acumular água e se tornar criadouros para o mosquito, ações de bloqueio com inseticidas nas regiões onde há casos notificados de dengue, ações de mobilização e educação em saúde nas escolas e comunidades do município. “Foi realizado no mês de outubro o LirAa com resultados de 1.4 para Sabará; o que significa médio risco de infestação para o município. É necessário que tenha engajamento da população para que ocorra uma redução nos casos, pois já se sabe que 85% dos focos estão dentro das residências”, finaliza.

Repelentes para gestantes

Sendo as gestantes o maior grupo de risco do Zica Vírus, é preciso uma atenção especial para elas. Em Sabará, as grávidas estão recebendo repelentes para se protegerem do mosquito Aedes aegypti. A distribuição, que é realizada pela Prefeitura, iniciou em março deste ano e são destinados apenas a sabarenses que realizam o pré-natal através do Sistema Único de Saúde (SUS) e são residentes no município. Os repelentes podem ser adquiridos nas unidades de saúde da sua área de abrangência após apresentação do cartão de gestantes e documentos pessoais.

SAÚDE
06 DE OUTUBRO DE 2017
Combate aos escorpiões
06 DE DEZEMBRO DE 2017
Controle contra a febre amarela
29 DE JUNHO DE 2017
A criança e o mundo virtual
13 DE OUTUBRO DE 2017
31 DE OUTUBRO DE 2017
04 DE DEZEMBRO DE 2017
Como encontrar a paz
20 DE FEVEREIRO DE 2017
Na luta contra o câncer
18 DE JULHO DE 2017
Cura através da energia!
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados