QUARTA-FEIRA, 25 DE ABR DE 2018
Untitled Document
NOTICIÁRIO - GERAIS
22 DE JUNHO DE 2015
Mesmo com campanha contrária na internet, China realiza festival da carne de cachorro

Defensores dos direitos animais foram expulsos nesta segunda-feira (22) de um festival de comida dedicada à degustação de cães no sul da China, uma manifestação cada vez mais criticada que abate todos os anos milhares de cães.

Uma dúzia de defensores dos animais agitavam bandeiras em frente à sede do governo local em Yulin, quando vinte homens não identificados forçaram o grupo a se retirar, constatou um fotógrafo da agência de notícias France Presse.

Este evento é organizado todos os anos para o solstício de verão em Yulin, na região sul de Guangxi, e tem enfrentando a crescente oposição de ativistas e de amigos dos animais, que exigem a sua proibição.

"Contra o comércio ilegal de carne de cachorro", "punição ao transporte ilegal de cães", proclamavam as bandeiras dos manifestantes que foram rasgadas.

O Festival de Yulin, conhecido como a festa da carne de cachorro na província chinesa de Guangxi, vai acontecer mesmo com mais de 1,3 milhão de assinaturas contrárias no site Change.org, a campanha #stopyulin2015 nas redes sociais, forte pressão internacional e protestos de organizações que defendem os animais. Mais de 10 000 cães deverão ser mortos neste final de semana.

A campanha mais organizada contra o festival vem da Duo Duo Animal Welfare Project, organização com presença na China e Taiwan. Seu abaixo-assinado pode ser lido em três línguas, incluindo português, no site Change.org.

“Um número significativo dos cachorros vendidos em mercados, de acordo com investigações de ativistas chineses, são roubados de casas de famílias ou eram cães de guarda em zonas rurais”, escreve a organização.

A venda de carne de cachorro não é proibida na China, mas os animais devem ser criados em fazendas e receber o certificado para consumo humano. Apesar do menor número, gatos também são mortos no festival. Os locais acreditam que a carne de ambos traz sorte e saúde. O governo da província afirma que a festa é um costume local e não recebe apoio oficial.

“O festival é um caso perigoso de segurança alimentar. Cachorros vendidos em mercados estão doentes ou à beira da morte. Eles sofrem durante viagens entre províncias distantes em condições horrorosas. A China não tem fazendas de cachorros. Não há padrões nacionais ou locais para garantir a segurança da carne de cachorro. Cancelar o festival previne possíveis mortes em massa e epidemias de doenças”, dizem os ativistas.

No entanto, nas fotos divulgadas pelas agências internacionais, como Reuters, o que se vê são cães em condições precárias prestes a serem abatidos. Há mortes que chegam a acontecer nas ruas, com o sangue escorrendo pelo meio-fio.

Nas redes sociais, a campanha #stopyulin2015 recebeu o apoio do comediante britânico Ricky Gervais. Ao postar a imagem de um cachorro com marcas de batom, ele escreveu: essas são as únicas marcas que você deve deixar em um cão.

Segundo a agência de notícias AFP, dado ao naufrágio da pressão da comunidade internacional, indivíduos tentam, localmente, salvar o máximo de animais. Uma chinesa, de 65 anos, teria gasto 1 000 dólares para resgatar 100 cachorros que seriam mortos.

Reprodução: http://info.abril.com.br

GERAIS
25 DE SETEMBRO DE 2017
Carnaval dos Enxutões
08 DE FEVEREIRO DE 2018
TÁ TUDO ERRADO
27 DE ABRIL DE 2015
Rede Sindijori de Comunicação
18 DE OUTUBRO DE 2016
20 DE FEVEREIRO DE 2017
Ande de acordo com a lei
29 DE AGOSTO DE 2017
AngloGold testa sirene no Pompéu
31 DE OUTUBRO DE 2017
Uma tradição milenar
17 DE JULHO DE 2017
Mãe Belgo
17 DE JULHO DE 2017
Cultura, diversão e inovação
17 DE JULHO DE 2017
Nova Era: ArcelorMittal
29 DE AGOSTO DE 2017
Romance em contos
21 DE NOVEMBRO DE 2017
Quanto custa morrer?
03 DE JANEIRO DE 2018
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
28 DE SETEMBRO DE 2017
08 DE AGOSTO DE 2017
08 DE AGOSTO DE 2017
Alerta as Prefeituras
18 DE JULHO DE 2017
Aluguel sem burocracia
28 DE SETEMBRO DE 2017
ACESSO PARA TODOS
SIGA A FOLHA DE SABARÁ:
2015 © Todos os direitos reservados